olemenews.com

Global

Ferraço diz que reação contra programa do PSDB é de governistas

Share
Em propaganda na TV, PSDB critica governo do qual faz parte

A informação foi dada por um assessor do presidente Temer que também não gostou do tom do programa do PSDB.

O prefeito de São Paulo, João Doria, minimizou as divergências, comparando as reações contrárias de políticos tucanos à propaganda do partido a "caneladas" em um jogo de futebol entre amigos. O termo que incomodou parte da base tucana - presidencialismo de cooptação - foi sugerido pelo ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. No passado, já houve divisão entre paulistas e mineiros, e agora se manifesta em grupos que querem uma inflexão na conduta do partido, como foi apresentado no programa, e os que querem manter o discurso e continuar apoiando o governo Temer. Imbassahy e Nunes almoçaram com Temer no Palácio do Planalto e disseram que o conteúdo do programa foi todo definido de forma isolada pelo senador Tasso Jereissati (CE) e que ele não contaria com o apoio da executiva nacional do partido. Entre eles, o presidente licenciado da legenda, senador Aécio Neves (MG).

"Pelo contrário, sairá fortalecido. As pessoas têm posições distintas, mas são do bem", disse. Segundo ele, os ministros fazem um bom trabalho e devem continuar no governo. Agora estamos na fase da estabilidade para proteger as reformas. "Temos presidencialismo de cooptação e não é de hoje", defendeu. "Não há ruptura. Há um entendimento de que nós podemos melhorar, aperfeiçoar, mas sempre com serenidade e equilíbrio".

"Isso não faz o menor sentido, porque, se vai substituir o presidente do partido, tem que substituir também o presidente honorário, já que o vídeo passou pelo crivo do presidente FHC", declarou Cássio.

"A essa altura a polêmica é necessária, a discussão é necessária, a autocritica é necessária".

Ao ser questionado pela imprensa se considera que deveria ter exibido o programa aos correligionários antes da veiculação em cadela nacional, Tasso respondeu que não se arrepende "de nada" e que assume "total responsabilidade pelo programa".

O evento está sendo realizado pelo Grupo Servnac, Grupo de Líderes Empresariais do Ceará (Lide), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL). Segundo o prefeito João Doria, Tasso reforçou que a peça não era uma crítica direta a Temer ou a seu governo. As assessorias do PSDB e de FHC foram procuradas, mas não se pronunciaram sobre a declaração de Mouco.

Share