olemenews.com

Negócios

Coreia do Norte é uma ameaça 'séria e crescente — Trump e Abe

Share
Estados Unidos e Coreia do Norte intensificam

Na sequência deste teste, Pyongyang garantiu que pode alcançar qualquer parte dos Estados Unidos com esta arma.

Os Estados Unidos usaram dois bombardeiros supersônicos B-1B para sobrevoar a península coreana em uma demonstração de força neste domingo após os recentes testes de mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) da Coreia do Norte, disseram as forças aéreas dos EUA e da Coreia do Sul.

Em várias oportunidades Trump exigiu que a China contenha as aspirações do vizinho, mas Pequim, que interrompeu as importações de carvão norte-coreano, insiste que a única solução possível é o diálogo.

Os irresponsáveis dos nossos líderes passados permitiram-lhes lucrar milhares de milhões de dólares por ano com comércio e no entanto não fazem NADA para nosso bem com a Coreia do Norte.

Qian considerou ainda que as "relações comerciais entre China e EUA são, no geral, mutuamente benéficas" para os dois países e que os "Estados Unidos beneficiam muito do comércio bilateral e cooperação no âmbito do investimento".

"Não permitiremos que isto continue. A China poderia resolver isso facilmente!", completou.

Os Estados Unidos negociam há tempoS com Pequim -principal aliado da Coreia do Norte- um projeto de resolução no Conselho de Segurança da ONU para impor sanções mais duras contra o regime de Pyongyang.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, conversou com Trump nesta segunda-feira e concordou sobre a necessidade de mais ação sobre a Coreia do Norte, horas após a embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas dizer que Washington está "farto de falar sobre a Coreia do Norte".

A acusação irritou Moscou. Pela televisão estatal, o ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou em comunicado: "se os Estados Unidos insistirem nas provocações militares e no agravar das sanções, a Coreia do Norte vai responder com um firme ato de justiça como já foi antes declarado".

No domingo, os Estados Unidos lançaram de um avião C17, sobre o Pacífico, um míssil que foi detetado, seguido e intercetado pelo sistema THAAD (Terminal High Altitude Area Defense), baseado no Alasca, precisou a agência encarregada da luta antimísseis (MDA).

Os EUA e a Coreia do Sul realizaram um exercício militar conjunto, no sábado, em resposta ao teste.

Os EUA acusam frequentemente Pequim de protecionismo.

Share