olemenews.com

Global

Greve geral da oposição venezuelana registra adesão parcial em Caracas

Share
Jornal diz que Cuba precisa da Venezuela como rota para enviar a cocaína colombiana para os EUA e África para abastecer a Europa

Este é um tema que ocupa também outros líderes da América do Sul.Os protestos contra Nicolás Maduro intensificaram-se desde 1 de abril, causando pelo menos 94 mortos.

Como forma de protesto, a oposição organizou um referendo no último domingo, no qual mais de sete milhões de eleitores disseram "não" ao projeto de Nicolás Maduro. Por isso, as vias de Caracas e de outras grandes cidades do país amanheceram desoladas e bloqueadas por barricadas. Não importa que percam o dia de trabalho, se estamos perdendo um país.

"Mas da mesma forma, a oposição sente que essa Constituinte representa sua morte e também da democracia, da República, dos direitos humanos e econômicos", diz León.

Os empresários, a quem Maduro acusa de travarem uma "guerra econômica" para derrubá-lo, apoiam a greve, alegando que a Constituinte instaurará um modelo econômico que vai piorar a crise do país, afetado por uma severa escassez de alimentos e de remédios, assim como por uma inflação voraz.

Numa nota enviada ao jornal Público, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português desmente a informação do jornal El País que adianta que Portugal é o único estado-membro da União Europeia (UE) que está "claramente contra" a aplicação de sanções à Venezuela. O 'sim' à rejeição do atual regime venceu com 98% dos votos, com as respostas afirmativas às questões de se rejeitavam a eleição de uma Assembleia Constituinte, se pediam às forças armadas para acatarem as decisões do parlamento, e se queriam uma renovação dos poderes públicos através do voto.

Hoje, várias zonas do leste e sul, onde a oposição é maioritária, registaram uma maior adesão à greve, que se fez sentir ainda com menor intensidade na parte oeste da capital e no centro de Caracas, onde, em Quinta Crespo (uma das zonas do centro) segundo dados não oficiais pelos menos 80% dos estabelecimentos comerciais abriram as portas, enquanto em localidades próximas as ruas estavam desertas.

Os bloqueios foram espontâneos, não convocados pela dirigência opositora. "O transporte funcionou 100%, o metrô funcionou 100%".

Share