olemenews.com

Global

Irmã de Aécio deixa cadeia em Belo Horizonte para cumprir prisão domiciliar

Share
STF julga nesta terça pedido de prisão preventiva contra Aécio Neves

A Primeira Turma do STF, responsável pelo julgamento do pedido de prisão do tucano, negou, na semana passada, o pedido de relaxamento de prisão da jornalista Andréa Neves, irmã e braço direito de Aécio. Além dela, o primo de Aécio Neves, Frederico Pacheco também passa a cumprir a prisão em casa, com monitoramento eletrônico no tornozelo.

Em 18 de maio, o ministro Fachin negou o primeiro pedido de prisão feito pela PGR, determinando apenas seu afastamento do cargo. Fux apontou a necessidade de medidas para impedir a possibilidade de destruição de provas, "porque ainda não temos um juízo completo sobre as demais atividades criminosas".

Também é estranho que, logo hoje, o STF tenha decidido não exibir, ao vivo, o debate da primeira turma sobre Aécio Neves...

Os ministros mandaram soltar o ex-assessor, mas a ele impuseram medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica.

Luís Roberto Barroso e Rosa Weber votaram pela manutenção da prisão diante de indícios de que ele poderia interferir nas apurações do esquema, sendo que outros crimes ainda estão em apuração.

Marco Aurélio decidiu adiar julgamento sobre a prisão de Aécio Neves. Caso a decisão do STF fosse negativa para Aécio Neves, isso ajudaria a desestabilizar o apoio tucano a Michel Temer, enfraquecendo o governo federal e ajudando o país a tomar a decisão, necessária, de chamar por novas eleições presidenciais.

Andrea foi presa porque há suspeitas de que ela tenha pedido dinheiro ao empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, em nome do irmão.

A posição do ministro Luiz Fux foi decisiva para a revogação das prisões preventivas. "Não é possível manter a prisão de uma investigação por fatos de outra investigação, e fatos que deixaram de ser, no momento, denunciados", disse Alexandre de Moraes. O caso foi posteriormente transferido a Marco Aurélio por não ter relação com desvios na Petrobras, objeto principal de investigação da operação.

Na primeira denúncia, Aécio é acusado dos crimes de corrupção e obstrução da Justiça. Assim, não houve crime', diz a nota.

Neste mesmo dia, ministro Fachin homologa a delação de Joesley e suspende o sigilo e o STF divulga os áudios vazados no dia anterior pela imprensa.

Share