olemenews.com

Global

EUA: coalizão derruba avião sírio que atacava o Estado Islâmico

Share
EUA confirmam derrubada de avião sírio

A coligação liderada pelos Estados Unidos para combater o Estado Islâmico (Daesh) no Médio Oriente abateu um avião militar sírio no domingo durante um sobrevoo da província de Raqqa. O Exército norte-americano garante que se tratou de um ataque autodefensivo, mas o governo de Bashar al-Assad adverte que o incidente vai ter "repercussões perigosas" no combate ao terrorismo.

As forças da coalizão, então, ofereceram a seguinte declaração: "Não serão toleradas intenções hostis do regime contra as forças apoiadas pela coalizão lutando contra o grupo terrorista DAESH na Síria". Foi a primeira vez desde o início da guerra civil síria que um caça sírio foi derrubado por forças americanas. Já os Estados Unidos apoia as mílicias árabes e curdas, contra o governo do ditador sírio.

"Devemos considerar este ataque como uma continuação da política americana que procura ignorar as regras do direito internacional", declarou o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov, citado pela agência oficial de notícias TASS.

Washington confirmou ter abatido um avião sírio, depois deste ter bombardeado as forças apoiadas pelos Estados Unidos, no sudoeste de Raqa.

Aviões da coalizão conteram o avanço inicial das forças do governo, com uma "demostração de força", acrescentou o comunicado.

Expulsou o grupo Estado Islâmico (EI) de várias zonas na Badiya (deserto) e chegou no dia 9 de junho à fronteira iraquiana, cercando quase totalmente os rebeldes apoiados por Washington e baseados no controle fronteiriço de Al Tanaf.

Ainda segundo a coligação, duas horas antes, as forças do regime do Presidente Bashar al-Assad atacaram combatentes das FDS na cidade de Jaaydin, a sul de Tabqa, "feriram alguns e causaram a fuga das FDS para fora da cidade".

Apoiador do regime, o Irã anunciou, por sua vez, o lançamento de mísseis de médio alcance contra "bases terroristas" na região de Deir Ezzor, controlada pelos extremistas, no leste da Síria.

Share