olemenews.com

Entretenimento

Anitta diz sofrer preconceito por rebolar e fazer plásticas

Share
Anitta e suas dançarinas arrasam na “Paradinha”

"A pessoa não tem ideia do quanto o funk ajuda uma parte da sociedade que não tem oportunidade de nada".

"Aqui no Brasil, ainda existe muito preconceito comigo por conta do ritmo que eu canto, por ser muito jovem, nova, por fazer plástica e assumir, por dançar, rebolar e ser sensual".

A cantora Anitta é a convidada do "Conversa com Bial" desta quinta-feira, dia 15.

Nascida Larissa Macedo Machado, Anitta batalhou para chegar no topo das paradas nacionais e conquistar projeção internacional. "É basicamente lutar contra o preconceito", arrematou. "Fui planejando essa quebra de barreiras e rótulos aos poucos", explica a moça, que assume toda a administração de sua própria carreira. Me assusta um pouco porque ao mesmo tempo o Brasil se orgulhosa, fica muito feliz, também gera muita expectativa. Mas não vai ser rápido, assim como não foi no Brasil.

Anitta causou polêmica quando participou da música Switch, de Iggy Azalea. Os dois improvisaram um dueto que deu o que falar nas redes sociais.

Anitta colocou panos quentes ao falar sobre o assunto.

- Eu não acredito em competição, acho isso uma coisa burra. Eu acredito numa união, cooperação.

Anitta tem muitos motivos para sorrir à toa.

"Eu priorizo sempre o amor". Além de sair em outros idiomas, também, né?

Pedro Bial reforçou ainda que a palavra "bunda" está se internacionalizando graças a cantora, e Anitta completou "paradinha" é o mesmo significado de "quadradinho", porém mais sofisticado, porque para ela o povo já enjoou de "quadradinho". Agora, a morena acredita que não é ela quem coloca esse medo nos crushs.

- Eu acho que é mais medo da minha vida, do que vem junto, do que se descobre, do que de mim de fato.

Share