olemenews.com

Desporto

Ministério Público da Espanha acusa Cristiano Ronaldo de sonegar R$ 52 milhões

Share
Florentino Pérez teme ver oferta de 200 milhões por Ronaldo para não cair em tentação

Para além disto, escreve a Efe, citando o documento do Ministério Público espanhol, Ronaldo apresentou na sua declaração de IRFP, equivalente ao IRS em Portugal, receitas de fontes espanholas entre 2011 e 2014 de 11,5 milhões de euros, quando as receitas realmente obtidas foram de quase 43 milhões de euros.

Cristiano Ronaldo vai mesmo responder em tribunal por crime fiscal, revelou o Ministério Público espanhol. O jogador português é acusado de ocultar 14,7 milhões de euros de rendimentos ao fisco espanhol.

O Fisco da Espanha denunciou Cristiano Ronaldo por suposta fraude de 14,7 milhões de euros (cerca de R$ 54 milhões) por quatro infrações cometidas entre os anos de 2011 e 2014.

Em Espanha este delito acarreta uma pena de um a cinco anos de prisão.

No relatório entregue a Agência Tributária espanhola consta que, na perspectiva de um contrato com o Real Madrid, assinado em junho de 2009. A procuradoria afirma, no entanto, que após de o Real Madri ter confirmado em 12 de dezembro de 2008 as condições do contrato que se formalizaria meses após, "e com a intenção de obter um benefício fiscal ilícito quando chegasse à Espanha", simulou ceder os seus direitos de imagem a uma empresa chamada Tollin Associates LTD, domiciliada nas Ilhas Virgens Britânicas, da qual era o único sódio.

Ronaldo, que é português, se tornou morador e contribuinte espanhol em janeiro de 2010, e em novembro de 2011 optou pelo regime de impostos espanhóis que se aplica a estrangeiros que trabalham na Espanha, explicou o comunicado. Esta empresa, por sua vez, cedeu os direitos a outra empresa com sede na Irlanda e com nome de Multisports&Image Management LTD que, de fato, se dedicou à gestão e exploração dos direitos de imagem do jogador. Para a procuradoria de Madrid, isto significa que "a cedência dos direitos à primeira empresa era completamente desnecessária e tinha apenas como finalidade a colocação de uma cortina para esconder ao Fisco espanhol a totalidade dos rendimentos obtidos pela exploração da sua imagem". De acordo com o El Mundo, na declaração fiscal que apresentou para o ano de 2014, Ronaldo declarava rendimentos de 11,5 milhões de euros entre os anos de 2011 e 2014.

O advogado português defende que num tema tão técnico não se pode responsabilizar Cristiano Ronaldo, que se limita a seguir os conselhos dos seus assessores, separando o seu caso de outros processos fiscais a futebolistas, como o de Leo Messi, no FC Barcelona.

Share