olemenews.com

Global

Ex-governador do DF José Roberto Arruda é preso pela PF

Share
Agnelo Queiroz

Os três homens agora detidos estão envolvidos na sobrefacturação.

Antes do acordo de delação dos executivos da Andrade Gutierrez, já havia a suspeita de corrupção envolvendo as obras do Mané Garrinha pelo fato de o BNDES não ter financiado a reforma do estádio, ao contrário do que ocorreu em outras arenas para a Copa do Mundo.

A PF diz que a remodelação do estádio pode ter sido sobrefaturada em cerca de 900 milhões de reais (245 milhões de euros), visto que estava orçada em 600 milhões de reais (164 milhões de euros) mas custou 1,5 mil milhões de reais (430 milhões de euros). Devem ser cumpridos, no total, 15 mandados de busca de apreensão, 10 mandados de prisão temporária além de 3 conduções coercitivas. Segundo ele, o político ainda não tinha sido preso até às 8h20. Agnelo Queiroz foi eleito em 2010 com Filipelli (PMDB) ocupando o cargo de vice-governador.

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, responsável pela operação, autorizou dez prisões.

"A hipótese investigada pela Polícia Federal é que agentes públicos, com a intermediação de operadores de propinas, tenham realizado conluios e assim simulado procedimentos previstos em edital de licitação", acrescentou a PF. Como contrapartida, os vencedores teriam pago propina a agentes políticos e públicos, que estão entre os alvos da operação. O dinheiro saiu dos cofres da Terracap, empresa pública do Governo do Distrito Federal, cujo capital é formado da seguinte forma: 51% do GDF e 49% da União. Ele era assessor especial da Presidência desde setembro do ano passado.

Filippelli, correligionário de Temer é um dos assessores mais próximos do presidente, foi vice-governador do DF.

Como Rosso possui foro privilegiado, as investigações sobre o parlamentar foram encaminhadas à Procuradoria Geral da República (PGR), para que o procurador-geral, Rodrigo Janot, decida se o caso deve ser encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) para abertura ou não de inquérito. Além do Mané Garrincha, também são investigadas as obras na Arena Corinthians, em São Paulo; na Arena Pernambuco, em Recife; na Arena Castelão, em Fortaleza; na Arena Amazônia, em Manaus; e no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Segundo delatores, esquema começou no governo de José Roberto Arruda, em 2008. Filippelli foi vice-governador na gestão de Agnelo e é presidente do diretório do PMDB no DF.

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias.

Share