olemenews.com

Global

Rodrigo Janot volta a pedir prisão de Aécio Neves e Rocha Loures

Share
Afastamento de Aécio Neves pode ser revertido por articulação no Senado

O afastamento de Aécio da função parlamentar foi determinado na quinta-feira, 18, pelo relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin.

Em caso de negativa sobre o recurso, a Procuradoria-Geral da República requer que sua demanda seja urgentemente submetida ao pleno do Supremo, para análise de seus 11 ministros. Gravações e interceptações telefônicas demonstrariam que os congressistas "vêm adotando, constante e reiteradamente, estratégias de obstrução de investigações da Operação Lava Jato". Janot argumenta ainda que a prisão dos dois parlamentares anteriormente para poder recolher mais provas sobre o caso. "No tocante às situações expostas neste recurso, a solução não há de ser diversa: a excepcionalidade dos fatos impõe medidas também excepcionais", declara Janot.

As prisões foram negadas pelo ministro Edson Fachin, porque ambos têm o foro privilegiado.

Como mostraram os delatores da Lava Jato, Aécio foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley, enquanto Rocha Loures - seu nome pardeplorar - foi filmado pela Polícia Federal ao receber uma mala com R$ 500 mil em dinheiro vivo.

Além de determinar o afastamento do cargo, Fachin proibiu o parlamentar de deixar o país e impediu Aécio de manter contato com outros investigados no mesmo inquérito.

Em nota, a defesa de Aécio informou que "aguarda ser intimada para apresentar suas contrarrazões, oportunidade em que demonstrará a impropriedade e descabimento do pedido ministerial". Um interlocutor de Aécio e o próprio Rocha Loures aparecem nas filmagens recebendo dinheiro em espécie.

O criminalista Alberto Toron, que defende o tucano, disse ainda que vai recorrer nesta terça (23) da decisão do ministro e pedir a revogação das medidas cautelares impostas "por falta de base legal e constitucional". "A defesa aguarda pelo STF a manutenção da decisão que negou o pedido do Ministério Público".

Nos bastidores da política - e em Curitiba -, é forte a especulação de que Rocha Loures fará delação diante da possibilidade de prisão. "O deputado, no momento oportuno, irá prestar todos os esclarecimentos devidos", diz José Luis Oliveira Lima, que representa o parlamentar afastado.

Share